"Quero fazer da minha existencia lesbica feminista a produção crítica de mim mesma e do mundo!"

(frase criada por várias lésbicas feminista do Brasil- Marylucia Mesquita, Luanna Marley, Kaká Kolinsk...)

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Visibilidade Lésbica na Terça Negra!


Terça Negra celebra Dia da Visibilidade Lésbica
No diálogo entre lesbianidade e negritude, a edição do dia 25 da Terça Negra traz o show “Reafirmar a Identidade”, com Luanna Marley e a banda “Espinha de Peixe”. A apresentação se insere na programação da Secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza (SDH) para o Dia da Visibilidade Lésbica, celebrado dia 29 de agosto.
O show traz um repertório de MPB adicionado de elementos de música pop, eletrônica, reggae e da black music brasileira. Na voz e violão, Luanna apresenta músicas de O Rappa, Rita Ribeiro, Matin’alia e Cássia Eller, dentre outras influências.

Luanna Marley, militante lésbica, negra e feminista, toca desde os 12 anos de idade. Em 2000, participou da gravação do CD do Conservatório de Música Alberto Nepomuceno, tocando a música“Asa Branca”, de Luís Gonzaga. Já abriu shows do cantor Lobão, em Fortaleza, e da cantora Zélia Ducan em Recife-PE. Em 2005, participou da gravação do CD “Solo Feminino 2”, projeto do cantor e compositor Pingo de Fortaleza.
29 de agosto – Marca o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica. Nesta data, em 1996, foi realizado o I Seminário Nacional de Lésbicas (SENALE), a instância deliberativa maior do movimento.

A Terça Negra é uma iniciativa Secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza (SDH), através da Coordenadoria da Igualdade Racial. Acontece semanalmente e traz sempre apresentações culturais gratuitas.
SERVIÇOTerça Negra: show “Reafirmar a identidade”, com Luanna Marley e banda “Espinha de Peixe”Data: 25/08/2009Horário: 18hLocal: Cidade da Criança/Parque da Liberdade. Rua Pedro I, s/n. Centro.Entrada gratuita Mais informações: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza (3131-1698), com Mônica Mourão (8814-8091) e Thiago Mendes (8885-3818).
-- Assessoria de Comunicação da Secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza (3131-1698)
Mônica Mourão (8814-8091)Thiago Mendes (8885-3818)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

I Congresso da Juventude de Fortaleza para a construção do Plano Municipal de Juventude

O Município de Fortaleza, atualmente está vivenciando uma fase de construções do Plano Municipal de Políticas para a Juventude.

Neste sentido, a Prefeitura de Fortaleza, através da Coordenadoria de Juventude e o Conselho Municipal de Juventude estão realizando o I Congresso da Juventude de Fortaleza,com o objetivo de discutir as propostas e diretrizes tiradas na I Conferência Municipal de Juventude, bem como traçar metas para a implementação de Polícas Públicas para os/as Jovens de Fortaleza. Vale ressaltar que netes processos estará sendo construído com a juventude o Plano Minucipal de Juventude para os próximos 10 anos.

É muito importante a participação das jovens mulheres lésbicas, bissexuais e heterossexuais neste espaço de construção e participação política.

Participem!


Programação do I Congresso da Juventude de Fortaleza:


Plenárias Temáticas:

Confira os locais e datas das Plenárias Temáticas do I Congresso Municipal de Juventude:


PROGRAMAÇÃO:
14h às 18h - discussão do Plano Municipal de Juventude

Trabalho, renda e novas formas de inserção; Ciência, tecnologia da informação e comunicação; Segurança Integral.
Data: 15 de agosto Local: Centro de Referência do Professor - (Conde D'eu, nº 560);


Cultura; Acessibilidade e jovens com deficiência; Educação
Data: 22 de agosto Local: Centro de Referência do Professor - (Conde D'eu, nº 560);

Esporte, lazer e tempo livre; Jovens Mulheres
Data: 29 de agosto Local: Centro de Referência do Professor - (Conde D'eu, nº 560);

Meio Ambiente; Diversidade Sexual; Gestão das Políticas Públicas de Juventude
Data: 05 de setembro Local: Centro de Referência do Professor - (Conde D'eu, nº 560);

Saúde e Qualidade de Vida; Participação Juvenil; Raça, Etnia e Religião
Data: 12 de setembro Local: Centro de Referência do Professor - (Conde D'eu, nº 560).



Plenárias Territoriais:


Confira os locais e datas das Plenárias Territoriais do I Congresso Municipal de Juventude de Fortaleza:


PROGRAMAÇÃO:
09h – 12h: Prestação de serviço à comunidade
14h – 17h: Discussões do Plano Municipal de Juventude
17h – 20h: Atividades Culturais

19/09 – SER II - EMEIF Almerinda de Albuquerque (São João do Tauape) SER V - CSU Lúcio Alcântara (Conj. Ceará) SER VI - EMEIF Mauricio de Matos Dourado (Edson Queiroz);

26/09 – SER V - EMEIF Nereira Facor (Bom Jardim) SER VI - EMEIF Raimundo Moura Matos (Passaré) SER II - CRAS Frei Tito e Escola Frei Tito (Caça e Pesca);

03/10 – SER V - CSU Adauto Bezerra (José Walter) SER VI - EMEIF Angélica Gurgel (Messejana) SER III - CSU Bela Vista (Bela Vista);

10/10 – SER III - EMEIF Joaquim Nogueira (Antonio Bezerra) SER I - CSU Tertuliano Cambraia (Carlito Pamplona) SER IV - CSU Presidente Médici (Bairro de Fátima);

17/10 – SER I - Cuca I (Barra do Ceará) SER IV - EMEIF Waldemar Barroso (Serrinha).

Nestes locais, a programação tem início às 18 horas:
02/10 - SER V - EMEIF Jacinto Botelho (Maraponga);

25/10 - SER II - EMEIF Álvaro Costa (Caça e Pesca).


I Congresso de Juventude, data: 06, 07 e 08 de Novembro
Local: Centro de Convenções.

7º ENUDES - Encontro Nacional Universitário de Diversidade Sexual











Academia e Militâncias em Diálogo: Diversidade Sexual e Lutas Sociais.

Local: Campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais.

Data: de 3 a 7 de setembro de 2009.

Com o tema “Academia e Militâncias em Diálogo: Diversidade Sexual e Lutas Sociais”, a sétima edição do ENUDS pretende (a) conjugar os esforços de estudantes e pesquisador@s congregando os movimentos sociais para um debate incisivo no que se refere à diversidade sexual no contexto universitário; (b) problematizar, junto aos movimentos sociais, a forma como lidam internamente com a diversidade de orientação sexual e identidades de gênero; (c) somar esforços no questionamento ao Estado quanto à proposição e execução de políticas públicas no que tange a diversidade sexual; (d) discutir os modos como o ENUDS tem lidado com as outras lutas sociais; (e) debater como essa confluência de atores contribui para a formulação de um ideal de sociedade, pensando se existe a possibilidade de constituição de uma arena onde todas essas lutas sociais se encontrem; (f) problematizar a relação entre militância e academia propiciando o intercâmbio de saberes.
Essa edição do ENUDS inova ao estruturar-se não como um encontro simplesmente acadêmico, mas propondo-se como espaço no qual diversos atores sociais possam se encontrar para um diálogo franco acerca das complexidades inerentes às articulações entre as lutas sociais pela democratização do país. Assim, propomos o debate entre os diversos atores envolvidos com as lutas sociais, tendo como eixo transversal o tema da diversidade sexual, entendendo as lutas sociais como parte do processo de democratização do país.

A importância da constituição desse espaço de diálogo justifica-se também como sendo um momento propício para a análise dos avanços alcançados pelo movimento social LGBT no país tendo como parâmetro outros movimentos de luta pela afirmação da diferença (movimento feminista, movimento negro, entre outros). O encontro de histórias e trajetórias de luta em prol de diferentes causas permitirá a troca de experiências e o traçar de novos rumos partindo de dificuldades encontradas e experiências bem-sucedidas.

Por um lado, o ENUDS 7 propiciará discutir o quanto os movimentos de diversidade sexual têm se apropriado das questões de classe, gênero e étnico-raciais. Por outro lado, o encontro poderá instigar outros movimentos sociais a refletirem sobre a forma como lidam internamente com as questões da diversidade de orientação sexual e de identidade de gênero. Desse modo, o ENUDS 7 propões um diálogo aberto com os seguintes movimentos sociais:

  • Movimento LGBT
  • Movimento Feminista
  • Movimento Negro
  • Movimento d@s Trabalhador@s Rurais
  • Movimento de luta pela educação
  • Movimento Estudantil
  • Movimento d@s Profissionais do Sexo
  • Sindicatos
  • Movimento de jovens